O Grupo Técnico de Produtos Biológicos (GT-PB) analisa soros (com exceção dos derivados de sangue humano), vacinas e biofármacos. Os soros são utilizados na terapia de infecções ou acidentes com animais peçonhentos - no primeiro caso, são originados a partir de toxinas de microrganismos (causadores de infecções como o butolismo, a raiva, o tétano ou a difteria); já no segundo, são fabricados a partir do veneno dos animais citados (tais como escorpiões, serpentes ou aranhas). Já as vacinas têm função preventiva no combate a doenças como a poliomielite, a febre amarela, o sarampo, a rubéola, dentre outros. Por fim, os biofármacos, também com função terapêutica - a alfaepoetína e o alfainterferon (utilizados, respectivamente, no enfrentamento de doenças renais e da hepatite C) são alguns exemplos.

No Brasil, é o INCQS (por meio do GT-PB) que tem a responsabilidade oficial exclusiva sobre a fiscalização e o controle de qualidade dos imunobiológicos. Praticamente todas as demandas do GT-PB vêm ou do Programa Nacional de Imunizações (PNI) ou da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa). No caso dos soros e das vacinas, quem faz os pedidos de análise é o PNI, do Ministério da Saúde (MS). Há, no entanto, casos extraordinários, quando chegam demandas da Organização Mundial da Saúde (OMS) ou da Organização Pan-americana de Saúde (Opas), sobretudo para programas de vacinação na América Latina.

A fiscalização dos imunobiológicos é feita lote a lote, de acordo com normas internacionais. Os laudos são enviados para o PNI, que distribui os soros e vacinas para mais de cinco mil municípios do Brasil. Já no caso dos biofármacos, as demandas são oriundas, em sua totalidade, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Assim como outros Grupos Técnicos do INCQS, a rotina de trabalho do GT-PB não se restringe ao laboratório. É normal a cooperação do Grupo na atualização da legislação específica para os produtos de sua alçada, além da participação em estudos para o estabelecimento de padrões de referência para o controle de vacinas e em programas de desenvolvimento tecnológico na área da Vigilância Sanitária.


GT/VAC - Grupo Técnico de Soros e Vacinas

 

O Grupo Técnico de Soros e Vacinas do INCQS viabiliza as decisões técnico-científicas relacionadas às análises laboratoriais e documentais de cada lote de produto.

Desde 1983 o INCQS, baseado em Normas Oficiais Nacionais ou Internacionais, analisa os protocolos de produção e executa ensaios laboratoriais em lotes de imunobiológicos nacionais e importados, adquiridos pelo Ministério da Saúde e utilizados no Programa Nacional de Imunizações, coordenado pela Secretaria de Vigilância em Saúde. Realiza também análises de controle da qualidade para exportadores nacionais.