Publicado em 29/01/2021.

Por Penélope Toledo (INCQS/Fiocruz)

Diretor do INCQS (de terno cinza, à esquerda) participa da cerimônia de entrega das vacinas (Foto: Peter Ilicciev - CCS/Fiocruz)

O diretor do INCQS/Fiocruz, Antonio Eugenio de Almeida, participou da cerimônia de recebimento e distribuição das vacinas da Fiocruz/AstraZeneca/Oxford vindas do Instituto Serum da Índia, contra o novo corona vírus (sars-cov-2), realizada em 23 de janeiro. Além do Instituto, ele representou o Conselho Deliberativo (CD) e a Comissão da Vacina da Fundação.

Eugenio integrou um grupo composto pela presidente da Fiocruz, Nísia Trindade; ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo; consul geral da Índia, Leonardo Ananda; pesquisadora de Oxford que coordena os ensaios clínicos com a vacina no Brasil, Sue Ann Clemens; secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz; secretário de Saúde do Estado do Rio de Janeiro, Carlos Alberto Chaves; diretor de Bio-Manguinhos, que irá produzir a vacina, Maurício Zuma; e pelo Arcebispo do Rio de Janeiro, o Cardeal Dom Orani Tempesta, entre outros. O personagem Zé Gotinha, símbolo da vacinação no país, também esteve no evento.

“A nossa vacina tem eficácia de 70% após a primeira dose e 100% de eficácia contra hospitalização e forma grave da doença. Hoje a vacina chega ao Brasil, mas já foi aplicada em 17 países e três milhões de pessoas, mostrando a segurança e confiança”, explicou a pesquisadora de Oxford que coordena os ensaios clínicos com a vacina no Brasil.

No mesmo fim de semana, o INCQS recebeu dois lotes com 2 milhões de doses da vacina coronavírus (recombinante) vinda do Instituto Serum da Índia (no sábado) e três lotes da vacina CoronaVac, do Instituto Butantan, com 910 mil doses (domingo) para realizar a análise de protocolo resumido de Produção e Controle de Qualidade, com liberação emergencial do produto para que o Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, possa promover a campanha de vacinação no Brasil.

Assista aqui o vídeo da cerimônia de recepção.

“O trabalho do INCQS tem sido intenso em diversas áreas: análise dos kits diagnósticos, inclusive com testagem sorológica da força de trabalho do Instituto; análise do álcool em gel recolhido pelos órgãos de fiscalização; análise da água para hemodiálise; orientação sobre artigos de saúde, como máscaras e luvas; projetos de pesquisa relacionados à Covid-19 e outras ações para o enfrentamento à pandemia, inclusive com ação direta da nossa equipe de Biossegurança", disse o diretor do INCQS, Antonio Eugenio de Almeida.

E acrescentou:

"O papel do INCQS foi mais uma vez reforçado e o Instituto fará o controle de qualidade das vacinas. O Instituto está pronto para o que se fizer necessário no propósito de contribuir para a Saúde Pública e para o fortalecendo do Sistema Único de Saúde (SUS), declarou .