Publicado em 03/11/2020.

Por Maria Fernanda Romero (INCQS/Fiocruz)

print renata11Foto: Reprodução Zoom

Os artigos de saúde voltados para atendimento à pandemia, como: máscaras cirúrgicas, respiradores particulados, luvas e protetores faciais, correspondem atualmente à 36% da demanda total do Setor de Artigos de Saúde, do Departamento de Química, do INCQS. A afirmação foi feita por Renata Vale, coordenadora do Núcleo Técnico de Artigos de Saúde (NT AS) do INCQS, durante a participação do instituto na 17ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), promovida na última semana de outubro.

A Coordenadora explicou que os artigos de saúde são categorias de produtos bastante amplos, diversificados e com diferentes níveis de complexidade. Durante o painel temático, ela falou sobre como funciona o dia a dia de trabalho no controle de qualidade de artigos de saúde (dispositivos médicos).

"Temos que olhar produto por produto e buscar as referências para avaliar critérios de qualidade. Normalmente buscamos compêndios oficiais, que são normas, resoluções ou monografias, que estabelecem os critérios especificados para a qualidade dos produtos. O indicativo de insatisfatório em qualquer critério compromete a avaliação do produto", explicou.

Durante a atual pandemia da Covid-19, o setor segue com a rotina de análises prévias, que são extremamente importantes para a liberação de registros e denúncias de desvios de qualidade de produtos. Renata lembrou ainda que a área participou de um projeto de fabricação de protetores faciais para profissionais de saúde e que tem participado também da formulação de informativos para a população em geral.

"O nosso trabalho é um trabalho de construção. De construção de um controle de qualidade para a população, de produtos que considerem a segurança dos pacientes e profissionais, produtos eficazes, produtos que sigam compêndios oficiais, com critérios de resistência, desempenho e padronização", pontuou.

O NT AS do INCQS tem trabalhado para aumentar sua contribuição, através do estabelecimento de parcerias com os entes do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS), como no caso de desenvolvimento de novas metodologias, novas ferramentas, para acompanhar as novas tecnologias e novos produtos.

Assista a apresentação completa aqui.

print renata 2Foto: Reprodução Zoom