Publicado em 10/12/2019.

Por Penélope Toledo (INCQS/Fiocruz)

Foto: Arquivo Pessoal

Um estudo sobre tinturas à base de Mikania glomerata Spreng (guaco), desenvolvido por uma aluna do Programa de Pós-Graduação em Vigilância Sanitária (PPGVS) do INCQS/Fiocruz foi premiado no 1º Simpósio Regional Sudeste de Farmacognosia, realizado de 20 a 22 de novembro, em Tiradentes (MG). Participaram do evento, cinco profissionais do Laboratório de Farmacologia do Instituto.

A pesquisa premiada foi Determinação de resíduos de agrotóxico e avaliação da atividade farmacológica de tinturas à base de Mikania glomerata Spreng (guaco), da aluna de doutorado do PPGVS, Thais Morais de Brito.

“Este projeto aborda o controle de qualidade de fitoterápicos, como tinturas e xaropes de Guaco, que possuem um dos maiores números de registro junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), além de serem amplamente distribuídos no setor de saúde pública. O desenvolvimento de metodologias para garantir o controle de eficácia destas tinturas, junto com o reconhecimento do trabalho num Simpósio Regional, trazem ao INCQS uma maior visibilidade e reconhecimento quanto às suas preocupações em assegurar a saúde da população que utiliza estes medicamentos”, declarou Thais.

Além dela, outros profissionais apresentaram trabalhos orais, sob o comando do chefe do Laboratório, Fausto Ferraris. Seguem os profissionais e suas respectivas pesquisas: Esdras Barbosa, colaborador (O uso de testes comportamentais como ferramentas de controle de qualidade de medicamentos fitoterápicos com atividade ansiolítica), Amanda Alves, estudante do Curso de Residência Multiprofissional em Saúde na Área de Vigilância Sanitária com Ênfase na Qualidade (R2) (Avaliação da atividade anti-inflamatória do extrato etanólico de Myrsine rubra) e Yasmin Gomes, bolsista do Programa de Estágio Curricular (PEC) (Avaliação da atividade anti-inflamatória da Passiflora incarnata).

O 1º Simpósio Regional Sudeste de Farmacognosia foi organizado pela Sociedade Brasileira de Farmacognosia (SBFgnosia), juntamente com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e o Centro Especializado em Plantas Aromáticas, Medicinais e Tóxicas (Ceplamt), e teve como objetivo do Simpósio proporcionar uma troca de experiências e saberes entre estudantes, pesquisadores, professores, profissionais e demais membros da sociedade civil, no intuito de descentralizar o conhecimento científico.

 

Sobre a pesquisa:

Os fitoterápicos podem apresentar grande variabilidade em sua composição química, devido a diversos fatores ambientais, climáticos ou de preparo. Por isso, há dificuldade na avaliação da qualidade de fitoterápicos, que assegurem a eficácia terapêutica e a segurança.

O trabalho do INCQS abordou duas grandes dificuldades nesta determinação. A primeira é quanto aos parâmetros preconizados pela Farmacopeia Brasileira, relativos ao teor de marcador químico, a cumarina (da espécie Mikania glomerata, guaco), que está diretamente ligada à eficácia terapêutica. Para tanto, está sendo feito um ensaio que poderá determinar a potência farmacológica de tinturas à base de guaco.

A segunda parte do trabalho está sendo desenvolvida, em colaboração com o Setor de Análise de Resíduos de Agrotóxico do INCQS, uma metodologia para analisar amostras desta matriz conforme com o que é preconizado pela legislação. Este também é um campo bastante obscuro quando se trata de fitoterápicos, pois a Anvisa determinou recentemente a necessidade da análise de resíduos de agrotóxicos nesse tipo de medicamento, no entanto, não há nenhum método estabelecido ou ao menos sugerido para este fim. O INCQS será pioneiro nesta ação.