Publicado em 25/11/2019.

Por Penélope Toledo (INCQS/Fiocruz)

Imagem de Divulgação

O primeiro lugar da categoria Informação e Comunicação doPrêmio Capes de Tese 2019 foi conquistado por uma servidora do INCQS/Fiocruz. Vanessa de Arruda Jorge ganhou por sua tese desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, convênio do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O trabalho agora concorre ao prêmio geral que selecionará as três melhores teses de 2018 em todas as áreas do conhecimento.

Sua pesquisa, intitulada Abertura e compartilhamento de dados para pesquisa nas situações de emergência em saúde pública: o caso do vírus Zika, sob orientação da Profa. Dra. Sarita Albagli, investigou e analisou questões relacionadas à abertura e ao compartilhamento de dados de pesquisa, especificamente na situação de emergência em saúde pelo referido vírus. Seu objetivo foi verificar como o campo científico reagiu à situação de emergência e como trabalhou para o avanço de pesquisas sobre o Zika naquele período.

“Como principais resultados, destacamos a questão do tempo. Percebemos que os tempos mudaram. Tempos de publicação, da comunicação científica, tempos de aprovação de projetos e trâmite desses projetos pelos comitês de ética. O financiamento das pesquisas também foi modificado. Esta mudança de tempo também promoveu diversas colaborações que envolviam ações de compartilhamento de dados e informações. A sociedade precisava de respostas rápidas da ciência”, apontou.

Também de acordo com Vanessa, ainda existem obstáculos para o compartilhamento dos dados e informações. Por isso, ela espera poder estimular novos estudos:

“A importância desta tese, então, é pode servir de ser referência para novos estudos em relação a esses obstáculos”, declarou.

Vanessa foi condecorada em 15 de outubro, no auditório do Museu da Vida, durante a Semana da Educação da Fiocruz, juntamente com outro profissional do INCQS, Kayo Cesar Bianco.