Publicado em 09/05/2019.
Por Penélope Toledo (INCQS/Fiocruz)

Imagens de Divulgação

Comportamento visual, luz azul e afetações visuais foram alguns tópicos abordados na palestra Distúrbios do processamento visual binocular: Por que ler pode ser uma tarefa tão difícil?, ministrada pela especialista em Neurociência Aplicada à Aprendizagem, Eliane Nogueira Rodrigues, em 29 de abril, durante a Semana do Trabalhador e da Trabalhadora do INCQS.

A palavra ‘binocular’ vem de duas raízes latinas: ‘bini’, que significa ‘duplo’ e ‘óculos’, que significa ‘olho’ e se refere ao uso conjunto dos dois olhos.

Na palestra foram discutidas a mudança no comportamento visual, decorrente mundo digital; fotossensibilidade, sensibilidade extrema diante da exposição à luz solar ou a luminosidade artificial; hormônio do sono melatonina; acuidade visual, que permite identificar cor, forma, movimento e contraste; forma como a imagem se projeta na retina; diferença entre visão estática e visão funcional; ortóptica, ciência que estuda a visão binocular em seus aspectos sensoriais e motores; papel do sistema visual durante a leitura; tríade acomodativa, em que a pupila se contrai, os olhos convergem e ocorre a focagem ocular; e testes de habilidades perceptivas visuais, dentre outros temas.

 

Distúrbios do processamento visual binocular:

A palestrante também falou sobre os aspectos benéficos e maléficos da luz azul, emitida pelos aparelhos eletrônicos. No primeiro grupo estão a regulação dos nossos ritmos biológicos, produção de vitaminas e equilíbrio hormonal. Já os efeitos prejudiciais são a inflamação da conjuntiva e da córnea, lesões no cristalino dos olhos como a catarata e lesões na retina.

Dentre as afetações mais comuns estão a visão embaçada, com halo (círculo luminoso), com espaços que parecem rios, com movimento para cima ou para baixo, tremida, com rodamoinho, desbotada, com borrões e com letras flutuando, gerando escritas com sobreposição de palavras.

  

Outro ponto apresentado pela especialista em Neurociência Aplicada à Aprendizagem foi a Síndrome de Irlen (S.I.), uma alteração visuoperceptual causada pelo desequilíbrio da capacidade de adaptação à luz. Esta produz alterações no córtex visual e déficits na leitura, afetando a velocidade de identificação das palavras e de sua compreensão, nervosismo, frustração, estresse e abandono dos estudos.

De acordo com a Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA), do Ministério da Educação (MEC), 22,2% dos alunos do 3º ano do ensino fundamental (8 anos) não conseguem, ler textos e 52% dos jovens entre 15 e 17 anos não concluíram o ensino fundamental.