Publicado em 24/09/2018.
Por Penélope Toledo (INCQS/ Fiocruz)

A atuação do INCQS não tem fronteiras. Lísia Maria Gobbo dos Santos, do Departamento de Química (DQ), participou da 13th International conference on the environmental effects of nanoparticles and nanomaterials (ICEENN 2018), realizada na universidade de Duke, na Carolina do Norte (EUA), entres os dias 5 e 8 de setembro. O evento foi no Centro das Implicações Ambientais da Nanotecnologia (Center for the Environmental Implications of NanoTechnology/ CEINT).

A conferência internacional sobre o efeito ambientais das nanopartículas e dos nanomaterias reuniu pesquisadores e estudantes de diversos países, além de pesquisadores estadunidenses do Food and Drug Administration/ FDA e do National Institute of Standards and Technology/ NIST).

Os temas discutidos foram, dentre outros, o uso e comportamento de nanopartículas metálicas no meio ambiente, possíveis efeitos da exposição às nanopartículas e as questões-chave relacionadas à manutenção dos benefícios econômicos e sociais da nanotecnologia.

A profissional do INCQS também participou de um workshop/treinamento sobre Análise de nanopartículas metálicas por sp-ICP-MS.

Lísia ficou muito satisfeita com a conferência, que lhe possibilitou ampliar a sua compreensão sobre o tema e sobre os seus desdobramentos:

“A minha participação no evento foi muito proveitosa, pois me permitiu um melhor entendimento dos estudos de nano que estão acontecendo nas principais instituições de pesquisa, bem como as dificuldades existentes e os desafios para desenvolver e analisar nanopartículas em diferentes produtos” afirmou.

Os tópicos da conferência incluíam: bio-captura, interações nano bio, métodos analíticos, transformações, modelagem, lançamento de produtos de consumo, aplicações e agricultura, toxicologia, eco-toxicologia e nano informática.


Sobre a nanotecnologia e o CEINT:

Nanotecnologia é o ramo da ciência que trabalha na escala dos bilionésimos de metro (a partir de 0,000001 milímetro) – ou nanômetros, de onde vem o nome dessa área. Com ela, seria possível construir coisas átomo por átomo, molécula por molécula, ou seja, usando os tijolinhos básicos que formam a matéria, de acordo com a definição da Revista Super Interessante.

O CEINT foi criado com objetivo de realizar pesquisas sobre o comportamento de materiais em nanoescala. Além disto, o Centro está desenvolvendo ferramentas de avaliação de risco para fornecer orientação na avaliação de preocupações existentes e futuras em torno das implicações ambientais do uso de nanomateriais.