Publicado em 27/10/2020.

Por Maria Fernanda Romero (INCQS/Fiocruz)

print ozeiasFoto: Reprodução Zoom

Como parte do painel temático do INCQS na 17ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), Ozéias de Lima Leitão, do Setor de Produtos Biológicos do Departamento de Química (DQ), abriu a participação do INCQS apresentando como o instituto está conduzindo as questões dos produtos biológicos para o combate da Covid-19.

Na apresentação, foram indicadas as tecnologias e métodos utilizados atualmente nos ensaios para investigar a segurança e qualidade dos produtos biológicos. O setor é o responsável pelas avaliações de vacinas, soros hiperimunes e medicamentos biológicos.

Ozéias explicou que os resultados desses ensaios físico-químicos fazem parte de um conjunto e que o DQ tem interface direta com outros departamentos do instituto, como o Departamento de Imunologia (DI), o Departamento de Microbiologia (DM) e o Departamento de Farmacologia e Toxicologia (DFT). "Todos os resultados são avaliados em conjunto pelo Núcleo de Produtos Biológicos (NT-PB) para aí sim o INCQS emitir o certificado de saitsfatório ou insatisfatório para o produto em avaliação" pontuou.

Ainda durante a sua fala, ele lembrou que a vacinação contra a Influenza foi antecipada para minimizar a troca de diagnósticos da Covid-19. Com isso, o instituto aumentou em mais de 38% o recebimento de lotes dessas vacinas considerando 2019 e 2020, foram 159 lotes em 2019 e 259 em 2020 (até meados de outubro).

"No momento, estamos atentos à perspectiva de novas vacinas contra o coronavírus (vacina de Oxford; Sinovac, do Instituto Butantan; e a vacina russa, Sputnik V). Elas irão requerer novos ensaios, que serão incorporados aos ensaios do Laboratório de Produtos Biológicos e Artigos de Saúde, para garantirmos a segurança do uso desses produtos", finalizou.

Assista a apresentação completa aqui.

print ozeias2 Foto: Reprodução Zoom