Publicado em 06/11/2019.

Por Penélope Toledo (INCQS/Fiocruz)

Fotos: Arquivos Pessoais

Nove profissionais do INCQS/Fiocruz participaram do XXI Congresso Brasileiro de Toxicologia (CBTOX) e XV Encontro Regional Latino-Americano de Toxicologia Forense (TIAFT), de 28 a 31 de outubro, em Águas de Lindoia-SP.

Renata Norbert, Luciana Madureira, Magno Maciel Magalhães, Octavio Presgrave, Cristiane Caldeira, Taline Conde, Izabela Gimenes, Ronald Silva e Renata Calil, todos do Departamento de Farmacologia e Toxicologia (DFT) do INCQS, apresentaram trabalhos desenvolvidos no instituto e com parcerias externas.

As temáticas foram: toxicologia de nanopartículas de óxido de cobre, ensaios de citotoxicidade de luvas de látex utilizadas por profissionais da saúde no Rio de Janeiro, comparação entre diferentes testes de irritação ocular e teste de citotoxicidade como um método substituto ao in vivo no controle da potência de soros antiofídicos.

De acordo com o chefe do Setor de Fisiopatologia do INCQS, Magno Maciel Magalhães, a participação no evento foi essencial para a obtenção de conhecimentos sobre as novas técnicas que podem ser aplicadas ao controle toxicológico de produtos e citou como exemplos o uso de impressoras 3D para obtenção de culturas celulares multicamadas e o caso de peles artificiais.

Magno também destacou as palestras sobre os métodos alternativos ao uso de animais de laboratórios, que substituem os ensaios in vivo (animais) por testes in vitro e in silico, e a possibilidade de trocar experiências e conhecimentos com outros profissionais da área, até com vistas em futuras parcerias:

“Foram fortalecidos laços com grupos de toxicologia da Universidade Federal de Goiás (UFG) e da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), com possíveis colaborações em um futuro próximo”, contou.

Intitulada Toxicologia: a ciência que também é arte, a edição deste ano do CBTOX abordou temas como mecanismos de toxicidade; imunotoxicologia; riscos toxicológicos no local de trabalho; toxicologia analítica, clínica e laboratorial; segurança ambiental e alimentar; genotoxicidade e métodos alternativos ao uso de animais de laboratórios, dentre outros.