Publicado em 07/11/2018.
Por Penélope Toledo (INCQS/ Fiocruz)

Imagem de Divulgação

Bernardete Ferraz Spisso, do Departamento de Química (DQ) do INCQS, participou da reunião da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre o processo regulatório dos limites máximos de resíduos de medicamentos veterinários em alimentos de origem animal, realizada em 25 de outubro, em Brasília. O objetivo da reunião foi apresentar o documento base da regulamentação desta área, construído com subsídios das discussões do Grupo de Trabalho (GT) criado para este fim, do qual Bernardete faz parte.

Participaram do encontro, organizado pela área de Alimentos da Anvisa, representantes das esferas de governo, do setor produtivo, de universidades e da sociedade civil.

Bernardete explicou que na ocasião, foram abordadas a identificação dos problemas oriundos do uso de produtos da medicina veterinária, a análise de alternativas regulatórias e os impactos na sociedade do problema e das alternativas de regulação.

“Os produtos veterinários utilizados para prevenir, controlar e tratar doenças, bem como para promover o crescimento dos animais, podem deixar resíduos nas carnes, leites etc, e serem prejudiciais à saúde humana. Por isto é fundamental que se estabeleçam regulações que possibilitem a avaliação e o gerenciamento desses riscos”, esclareceu.

De acordo com a Assessoria de Comunicação Social (Ascom) da Anvisa, “a preocupação com o assunto tem relação direta com o aumento do consumo de alimentos de origem animal, em escala mundial, e com a necessidade de os governos criarem mecanismos para o maior controle em relação aos cuidados com o uso de medicamentos nos animais”, principalmente os antimicrobianos, devido à contribuição do seu uso veterinário ao problema mundial de saúde pública que é a resistência aos antimicrobianos (RAM).