Publicado em 27/09/2018.
Por Penélope Toledo (INCQS/ Fiocruz)

Fotos: Pedro Paulo Gonçalves (INCQS/ Fiocruz)

Profissionais do Setor de Meios de Cultura e do Serviço de Microbiologia de Apoio, do Departamento de Microbiologia do INCQS (DM), ministraram o curso de atualização Preparo e controle da qualidade de meios de cultura utilizados em microbiologia no período entre 17 e 26 de setembro. O referido curso, sob a coordenação de Célia Romão, Suely Fracalanzza e Bruna Sabagh, contou também com a responsabilidade de José Marcos Dias e Will Lameirão.

Este curso de Atualização, que ocorre anualmente, tem como objetivo capacitar profissionais da área de saúde em atividades relacionadas ao preparo e controle da qualidade dos meios de cultura, soluções e reagentes, bem como da preparação de materiais estéreis. Foram abordados temas básicos em Microbiologia em seus aspectos teóricos e práticos, bem como de técnicas empregadas em controle da qualidade.

Profissionais do INCQS que ministraram este curso: Suely Fracalanzza, Célia Romão, Ana Paula Alcides, Silvia Lopes, José Marcos B. Dias, Nathalia Caldeira, Joana Barbosa, Antonio Vasconcellos, Eliana Pereira, Carlos R. Nascimento, Terezinha Gotzl, Luciana Mansur, Antonio Eugenio de Almeida, Paola Cardarelli, Bruna Sabagh, Maysa Clememtino, Wil R. Lameirão, Sergio A. da Silva, Monica Almeida, Jorge Santana, Sineide Souza, , Monica Almeida, Jorge Santana, Sineide Souza, Renê da Rocha, Edmilson Lima e Renata Pires.

Foram abordados os temas básicos em microbiologia e gestão da qualidade, o emprego dos meios de cultura no controle microbiológico de produtos sujeitos à vigilância sanitária e aspectos teóricos sobre o controle da qualidade de meios de cultura.

Sobre a microbiologia, Suely Fracalanzza explicou:

“Na Microbiologia, ciência que estuda os microrganismos, é, de fato, cada vez maior a necessidade de controle do crescimento destes organismos, em todas as áreas que envolvem seres humanos, animais e meio ambiente. Esta ciência depende em sua essência, da produção e controle dos meios de cultura e também da utilização de materiais estéreis, diante das exigências da Garantia da Qualidade, frente a demandas cada vez maiores de confiabilidade exigidas pelas Normas Regulamentadoras”.